O Interrogatório

Na cidade de Frankfurt, na Alemanha, durante vários meses dos anos de 1964 e 1965, foi instaurado um processo que julgou os culpados do massacre de Auschwitz. Peter Weiss assistiu a este processo como observador anônimo. Logo após, no mesmo ano de 1965, escreveu O INTERROGATÓRIO, sem levar em consideração as opiniões dos que pretendiam esquecer a "vergonha nacional", e opondo-se àqueles que preferem ficar alheios ao tema da destruição total da dignidade humana.

Pesquisando as atas do processo, o autor levantou dados concisos e recolheu inúmeras declarações de acusados, testemunhas, juiz, promotor e advogados de defesa; aproveitou muitas destas declarações quase ao pé da letra, de maneira como foram ditas, com a mesma linguagem. Assim, O INTERROGATÓRIO revela de maneira extremamente objetiva as incríveis possibilidades dramáticas da História: retirando quase todos os elementos de invenção e de argumentação esquemática, conservando apenas seus recursos próprios de autor, Peter Weiss consegue atingir o limite máximo da obra dramática. Aqui, a História mostra toda a intensidade do drama.